Na manhã deste sábado (05/09) um caminhão carregado de combustível tombou na Serra de Teixeira, descendo uma ribanceira e ficando parcialmente destruído.
Segundo informações enviadas por internautas a redação do Patosonline.com, o veículo vinha fazer entrega em Patos no Auto Posto Bivar Olinto depois seguiria para Cajazeiras.
O motorista foi socorrido com escoriações leves e encaminhado para o Hospital Regional de Patos.
Funcionários da empresa transportadora foram até o local tentar resgatar o que sobrou do combustível.

Patosonline.com 
Um jovem de 19 anos de idade, natural da cidade de São João do Rio do Peixe, mas morador de Cajazeiras tentou tirar a própria vida nessa quinta-feira (03). O rapaz usou uma seringa para injetar no corpo o veneno de matar vegetal (mato).
Ele mora nas proximidades do CAIC, Zona Norte da cidade e após injetar o veneno fugiu para um matagal próximo a sua residência. Um amigo do rapaz tomou conhecimento do caso e chamou o Corpo de Bombeiros.
Os bombeiros conseguiram encontrar o rapaz, que estava desmaiado e na impossibilidade de chegar viaturas ao local, o rapaz foi socorrido nos braços até a ambulância. Ele foi levado para Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional de Cajazeiras e o estado de saúde era grave. Nessa sexta-feira (04), o paciente saiu da UTI e passa bem.
Ele trabalha de garçom num estabelecimento comercial de Cajazeiras e antes de tentar contra a vida deixou uma despedida no Facebook. 
Na mensagem, o rapaz diz que a morte é uma prova para o seu amor, que passaram juntos oito meses, mas no momento estavam separados. O garçom pediu perdão aos pais e a sua única irmã, além de se despedir de uma colega de trabalho. 

Veja 
Recado
DIÁRIO DO SERTÃO
Cientista diz que brincadeiras consideradas típicas de menina são associadas à passividade. (Foto: Arquivo/Mohammed Abed/AFP)
As meninas deveriam brincar menos com bonecas e mais com brinquedos típicos de meninos, como jogos de construção, mais favoráveis ao desenvolvimento da criatividade, afirmou nesta sexta-feira a influente cientista britânica Athene Donald.
"Devemos mudar a forma como vemos meninas e meninas e o que é bom para eles quando são pequenos. O tipo de brinquedo é importante? Acredito que sim", declarou a cientista, professora de física experimental da Universidade de Cambridge.
"Criamos comportamentos sociais ao estereotipar o tipo de brinquedo com os quais os meninos e as meninas brincam quando pequenos" continuou Donald, que presidirá em breve a Associação Britânica de Ciência (BSA).
Os jogos de meninas estão tipicamente relacionados com a passividade - como pentear uma boneca, por exemplo -, e não com a construção, a imaginação ou a criatividade, como o Lego", completou.
O tipo de brinquedo com que um menino ou uma menina brincam desde a infância podem contribuir na construção de um entorno social que mantém as mulheres distantes de algumas profissões, tomando como exemplo seu próprio âmbito de pesquisa no qual as estudantes mulheres são minoria.

"As organizações como a Confederação da Indústria Britânica falam constantemente de uma falta de estudantes qualificados em ciência, tecnologia, engenharia e matemáticas. Porém, uma das maneiras de solucionar isso pode ser fazer com que metade da população não se sinta excluída", concluiu.
G1 
Três italianos da região de Nápoles com antecedentes criminais foram presos na manhã deste sábado (5) com 29 kg de Nutella roubados de um supermercado de Sarzana, no noroeste da Itália.
O grupo foi pego enquanto tentava deixar a loja com 29 potes de 1 kg do famoso creme de avelãs. Os três homens, dois de 45 e um de 28 anos, foram interceptados pela polícia e denunciados por furto agravado.
Todos os recipientes de Nutella roubados foram devolvidos ao supermercado.
IG 
Em entrevista neste sábado, 5, o deputado federal Veneziano Vital do Rêgo (PMDB), agradeceu às manifestações que recebeu do povo quando da visita da Presidente Dilma Rousseff a Campina Grande na última sexta-feira,, 05, quando foram entregues quase duas mil casas em parceria Governos Federal e do Estado.
Durante o chamamento de Veneziano para fazer parte da mesa de honra com a Presidente, as pessoas presentes aplaudiram euforicamente o parlamentar.
“E isso não acontece gratuitamente. Devo isso ao serviço prestado que temos em Campina, não apenas nos oito anos como prefeito, mas por conta do nosso profícuo mandato como deputado, em que pese o pouco tempo de exercício, seis meses (já que tivemos o recesso)”, destacou Veneziano.
Veneziano nem fez uso da palavra, mas quando da chegada ao local de entrega das casas, foi muito saudado e aplaudido pelos populares, bem como quando de uma simples passagem da sua imagem nos dois telões montados no local.
“Eu fico muito lisonjeado com essas manifestações. E ali estavam pessoas de vários bairros, que são sabedoras do que fizemos por Campina, apesar das tentativas vãs dos meus opositores de querem criar factóides às vésperas de mais um processo eleitoral. Os campinenses sabem que pavimentamos mais de 600 ruas; que fizemos mais de 11 concursos públicos e que chamamos ao trabalho mais de 6 mil pessoas; que construímos a Feira da Prata; os terminais integrados de ônibus; a abandonada Vila Olímpica Plínio Lemos; que fizemos a primeira UPA e começamos uma segunda na Dinamérica, mas que foi abandonada pela atual gestão; que construímos milhares de casas e deixamos contratadas outras milhares e entregues pelo atual prefeito como sendo fruto do seu trabalho e não foi; que deixamos recursos para revitalização da Feira Central; que reformamos o Teatro Municipal; que trouxemos as farmácias populares, além de dois restaurantes populares e seis cozinhas comunitárias, que foram fechados pela administração apática e anêmica do PSDB; que fomos nós que implantamos os PCCRs da Saúde e da Educação, rasgados pelo atual prefeito; entre tantas outras iniciativas”, lembrou o parlamentar.
Veneziano lamentou que Campina Grande esteja sendo listada pela Associação dos Municípios da Paraíba como uma das cidades que mais perdeu recursos federais por falta de projetos: “e isso é fruto da incompetência dos que aí estão, que não conseguiram inaugurar sequer um monumento às margens do Açude Velho, orçado em mais de R$ 3 milhões, por ocasião dos 150 anos da cidade no ano passado”.
Antes da solenidade começar, Veneziano, ao lado da esposa, a superintendente estadual da Funasa, Ana Cláudia, esteve com a Presidente e agradeceu o que o Governo do PT tem feito por Campina nos 8 anos quando foi prefeito e lamentou os prejuízos para a população, do abandono de obras federais por parte da Prefeitura Municipal nos tempos atuais.
Assessoria 

Sem brilho, sem Neymar de titular e com pouquíssimo público, o Brasil venceu a Costa Rica na tarde deste sábado (5) em Nova Jersey, nos Estados Unidos, por 1 a 0. Com gol solitário e possível falta de Hulk, a seleção de Dunga mostrou um futebol de controle de posse de bola e muitas jogadas pelas laterais de campo, mas que nao empolgou, assim como havia sido na Copa América. A arbitragem ainda anulou um gol legal para cada lado. O banco de reservas, que tinha o craque do Barcelona e também Kaká, foi mais olhado do que o próprio jogo.
O time repetiu o que treinou durante a semana, abrindo bastante o jogo. Não à toa, os dois destaques individuais brasileiros foram Marcelo e Douglas Costa. Mesmo no banco, Neymar foi o centro das atenções e teve seu nome muito gritado. Dentro de campo, no entanto, ele foi discreto e arrancou menos gritos do quando esteve fora, sentado no banco ou aquecendo ao lado de Kaká, que foi ovacionado quando entrou no lugar de Hulk. Lucas Lima, estreante da tarde, também foi bem e serviu como distribuidor de bolas do meio para as laterais. 
Na defesa, desfalcada por Filipe Luís e Daniel Alves e sem Thiago Silva, a equipe mostrou segurança e quase não foi incomodada. A melhor defesa de Grohe aconteceu quando o lance já estava invalidado por impedimento. A seleção agora embarca para Boston, onde enfrenta os Estados Unidos, no dia 8.
BRASIL 1 x 0 COSTA RICA
Data: 05/09/2015 (sábado)
Local: Arena Red Bull, em Nova Jersey (Estados Unidos)
Árbitro: Mathieu Boudreau (Canadá)
Auxiliares: Joe Fletcher (Canadá) e Corey Rockwell (EUA)
Público: 19.600 presentes
Cartão amarelos: Elias (BRA)
Gols: Hulk, aos 9 minutos do primeiro tempo
Brasil
Marcelo Grohe; Danilo, David Luiz, Miranda e Marcelo; Fernandinho (Elias), Luiz Gustavo (Rafinha) e Lucas Lima (Philippe Coutinho); Willian (Lucas Moura), Douglas Costa (Neymar) e Hulk (Kaká)
Técnico: Dunga
Costa Rica
Pemberton; Gamboa (David Mirye), Acosta, Giancarlo González e Óscar Duarte; Matarrita, Tejeda (Guzmán), Celso Borges e Bryan Ruiz (Daniel Colindres); Johan Venegas e Marco Ureña (Joel Campbell)
Técnico: Oscar Ramírez
Uol 
 O pai de duas crianças sírias que morreram afogadas junto com a mãe e diversos outros imigrantes enquanto tentavam chegar à costa grega identificou os corpos nesta quinta-feira e se preparou para levá-los de volta à cidade natal de Kobani.
Abdullah Kurdi chorava ao sair de um necrotério na cidade de Mugla, perto de Bodrum, onde o corpo do seu filho de 3 anos de idade, Aylan, foi achado, na Turquia. Uma fotografia do corpo do menino, vestindo uma camiseta vermelha e bermuda, com o rosto afundado na areia, estampou jornais de todo o mundo nesta quinta-feira, gerando indignação pela falta de ação de países desenvolvidos na ajuda a refugiados.
 O irmão de Aylan, Galip, de 5 anos, e sua mãe, Rehan, de 35, também estão entre as ao menos 12 pessoas, incluindo outras crianças, que morreram depois que dois barcos colidiram enquanto tentavam chegar à ilha grega de Kos.
"As coisas que nos aconteceram aqui, no país onde nos refugiamos para fugir da guerra no nosso país natal, queremos que o mundo inteiro veja isto", disse Abdullah a repórteres. "Queremos a atenção do mundo sobre nós, para prevenir que isto aconteça com outros. Que esta seja a última vez", disse.
Em declaração à polícia obtida pelo jornal Hurriyet, Abdullah disse que pagou duas vezes a traficantes para levar ele e sua família à Grécia, mas as tentativas falharam. Ele então decidiu encontrar um barco e remar sozinho, mas então o barco começou a encher de água e virou quando as pessoas entraram em pânico. "Eu estava segurando a mão de minha esposa. Meus filhos escaparam das minhas mãos. Tentamos segurá-los no barco", disse na declaração. "Todos estavam gritando no escuro. Não consegui fazer com que minha voz fosse ouvida por minha esposa e filhos".
 Nesta sexta-feira, 04 de setembro, por volta das 06:50h da manhã, ocorreu um grave acidente (tombamento de uma van) na altura do Km 47, próximo da entrada do povoado da Mangueira, na BR-316 no município de Trindade, no Sertão do Aaripe. A (VAN) de Placas KKH-1528 conduzida pelo Sr. Osvaldo Marcelino Neto, saiu do distrito de Lagoa do Barro, município de Araripina com destino a Trindade.
 Segundo populares, ao entrar na BR-316, o condutor tentou efetuar uma ultrapassagem em outra van, por motivos ignorados o mesmo perdeu a direção do veículo, saiu da pista e tombou o transporte alternativo do outro lado da BR no sentido contrário
Fonte: Ouricuri em Foco - Fotos: Whatsapp
Em conversa reservada com a presidente Dilma Rousseff, na noite desta quinta-feira, 3, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva mostrou preocupação com as especulações sobre a saída do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, e disse a ela que o governo não pode deixar dúvida sobre a permanência do auxiliar. Mesmo assim, Lula insistiu em que é preciso afrouxar um pouco o ajuste fiscal, para permitir o crescimento da economia.
O ex-presidente também pediu a Dilma que se reaproxime do vice, Michel Temer (PMDB), que ontem, em mais uma rodada de conversas com empresários, admitiu ser difícil um governante resistir mais três anos com popularidade baixa. A frase foi interpretada por petistas como uma tentativa do vice de se credenciar para o lugar de Dilma.
Lula afirmou a Dilma que ela precisa "agir rápido" tanto na economia como na política. Para ele, se o governo perder o apoio do PMDB de Temer e também do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (RJ), o desfecho da crise pode ser imprevisível.
O ex-presidente esteve com Dilma, no Palácio da Alvorada, horas depois de ela ter se encontrado com Levy e com os ministros Nelson Barbosa (Planejamento) e Aloizio Mercadante (Casa Civil). O governo saiu a campo para a operação "segura Levy", na tentativa de abafar a crise, depois que o titular da Fazenda escancarou o mal-estar por se considerar desprestigiado na equipe.
Um auxiliar de Dilma disse ao jornal O Estado de S. Paulo que o ministro da Fazenda só não deixou o cargo, ainda, porque tem "responsabilidade com o País" e por temer o rebaixamento da nota do Brasil pelas agências de classificação de risco e a perda do grau de investimento.
Levy ficou muito contrariado com o vaivém das decisões dos últimos dias no governo, passando a imagem de incerteza na condução da economia, com repercussão negativa no mercado. Brigou pelo superávit de 0,7% do Produto Interno Bruto (PIB), em 2016, mas acabou derrotado.
Além disso, Levy não escondeu a insatisfação com as sucessivas críticas ao ajuste fiscal, até mesmo por parte do PMDB de Temer, que lhe dá sustentação. O ministro chegou a reclamar com o próprio Temer, que renovou o apoio a Levy.
Os ataques do PT também incomodam Levy. Para piorar a situação, a Frente Brasil Popular - composta por PT, PC do B, PSB e PDT, além de representantes de movimentos sociais e centrais sindicais - lançará amanhã um manifesto, em Belo Horizonte, pregando a mudança da política econômica. Faixas de "Fora Levy" são esperadas no encontro.
Lula e o PT sempre foram mais próximos de Barbosa do que de Levy. O ex-presidente avalia, no entanto, que o PT deve "segurar a onda" nesse momento e não pregar a saída do comandante da economia. No seu diagnóstico, o governo precisa aumentar o crédito e não cortar investimentos.
Estadão 

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), em parceria com a Secretaria de Administração Penitenciária e a Universidade Estadual da Paraíba – Campus Campina Grande, realiza neste mês de setembro a Campanha Estadual de Busca de Sintomáticos Respiratórios nas Unidades Prisionais. A campanha será realizada nos municípios de João Pessoa, Sapé, Guarabira, Bayeux, Santa Rita, Campina Grande, Patos, Sousa e Cajazeiras.

Durante todo o mês de setembro serão realizadas atividades relacionadas à tuberculose, como palestras, rodas de conversa com os profissionais de saúde, coleta de escarro nos reeducandos sintomáticos respiratórios e teste rápido para HIV. Segundo a chefe do Núcleo de Doenças Endêmicas da SES, Lívia Borralho, as atividades visam melhorar a captação precoce dos casos de Tuberculose e promover a integralidade do cuidado, principalmente às populações de maior vulnerabilidade.
“É importante lembrar que o Sintomático Respiratório, na população em geral, é aquela pessoa que tosse há mais de três semanas. Já na população privada de liberdade esse período reduz para 15 dias, por se tratar de população vulnerável”, explicou Lívia. A coordenadora da SES lembrou também que a persistência da tuberculose revela não apenas o grande número de fatores envolvidos na sua determinação, mas, sobretudo na complexidade do seu controle e cura. “Por isso, há a necessidade cada vez maior da integração entre os serviços de saúde, a fim de obter um melhor controle da tuberculose, além da busca de novas perspectivas com relação à forma de sua expansão e contágio”, concluiu Lívia Borralho.                     
Dados – De acordo com dados do Núcleo de Doenças Endêmicas (NDES), nos últimos dois anos foram notificados 2.190 casos novos de tuberculose na Paraíba, sendo 1.138 em 2013 e 1.052 em 2014. A taxa de abandono do tratamento também diminuiu, de 14,3% em 2013 para 5,8% em 2014. “Tivemos uma melhora considerável na porcentagem de abandono. Os casos novos se mantém pela melhora na busca e avaliação de contatos e a introdução de novos municípios, antes silenciosos, na obtenção dos objetivos do Programa de Controle da Tuberculose no Estado da Paraíba”, explicou Pollianna Marys, do NDES.
A doença – A tuberculose é caracterizada como uma doença infectocontagiosa que afeta, principalmente, os pulmões. Ainda é responsável por várias mortes no mundo, causada pelo Mycobacterium Tuberculosis, também conhecido como bacilo de Koch, e tem como principais sintomas a tosse com secreção, febre, suores noturnos, falta de apetite, emagrecimento, cansaço fácil e dores musculares. Ela também provoca dificuldades para respirar, eliminação de sangue e acúmulo de pus na pleura pulmonar, nos casos mais graves. O tratamento tem duração mínima de seis meses, com medicação gratuita fornecida pelo Ministério da Saúde e disponibilizada nas unidades de saúde dos municípios da Paraíba. Na Paraíba, o hospital referência no tratamento da doença é o Complexo Hospitalar de Doenças Infectocontagiosas Clementino Fraga.
Qualquer paciente com tosse (seca ou com catarro) por mais de 15 dias, associada à febre e perda de peso involuntária, deve procurar o médico. Diagnosticada a doença, o tratamento deve ser iniciado imediatamente. O tratamento inicial é de seis meses. Após um mês de tratamento, o paciente deixa de transmitir a doença. É importante que não haja interrupção no tratamento, pois com isso o organismo corre o risco de ficar resistente à bactéria, e assim o procedimento vai ficando cada vez mais longo. Como a tuberculose causa a inflamação e destruição pulmonar, caso não seja tratada, pode levar à insuficiência respiratória e até a morte. O tratamento da tuberculose é ambulatorial. Os casos de internamentos são somente para quem abandona o tratamento ou procura atendimento tardio.
A tuberculose é transmitida por via aérea quase que na totalidade dos casos, a partir da inalação de gotículas contendo bacilos expelidos pela tosse, fala ou espirro do doente com tuberculose ativa de vias respiratórias.
Secom-PB 
Integrantes da bancada feminina ouvidas pelo G1 divergiram em relação à proposta sob análise da Mesa Diretora que pretende impor regras de vestimenta na Câmara, restringindo o uso de minissaia e decote.
A pedido de parlamentares, o primeiro-secretário da Câmara, deputado Beto Mansur (PRB-SP), a Mesa Diretora vai elaborar um projeto com regras para “evitar excessos” nas dependências da Casa.
Por se tratar de uma questão administrativa, o projeto não tem que ser apreciado pelo plenário, podendo ser votado pelos próprios integrantes da Mesa.
A deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) é uma das que criticam a medida sob o argumento de que o parlamento tem temas mais importantes para tratar.
Para ela, a proposta é “ridícula” e “desmoraliza” a Câmara. “Imagina o ridículo: vai colocar segurança medindo tamanho de saia, tamanho de decote?”, questionou.
Ela sustenta ainda que a medida irá “elitizar” o Congresso devido ao nível de exigência. “Estudantes, movimentos sociais, como vão entrar aqui? Até cor do tênis estão limitando”, disse.
Favorável à imposição de um “dress-code”, Keiko Ota (PSB-SP) defende que a Câmara encontre um ponto de equilíbrio.
“Tem que ser liberal e conservador porque é um ambiente de trabalho, que requer muito respeito. Mas também não pode exagerar porque estamos no século 21. Temos de ser ponderados. Um decote extravagante, por exemplo, não combina com o ambiente", opinou.
A deputada Geovania de Sá (PSDB-SC) concorda que há “exagero” pelos corredores da Câmara, mas diz ainda não ter opinião fechada sobre o tema.
Para Maria do Rosário (PT-RS), a proposta tenta impor “padrões culturais e de controle sobre as mulheres” por meio da vestimenta feminina.
“O Brasil é um país multicultural. Sou totalmente contrária que a vestimenta das pessoas seja observada de forma a impor padrões, ainda que eu preze, como pessoa, a discrição", afirmou.
O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), também se manifestou de forma contrária à proposta. Segundo ele, “cada um tem que ter juízo da forma como se comporta”.
Trajes “sensuais”
A ideia de limitar o uso de trajes “mais sensuais” partiu de um grupo de deputadas liderado pela parlamentar Cristiane Brasil (PTB-RJ). Atualmente, os homens são obrigados a transitar pelo Salão Verde e plenário com terno e gravata. Não há regras para as mulheres.
No Judiciário, existem exigências tanto para homens quanto para mulheres.  No Supremo Tribunal Federal, por exemplo, os homens precisam usar terno e gravata, enquanto as mulheres precisam usar blazer, calça social ou saias que não sejam muito curtas.
A deputada Cristiane Brasil encaminhou a Beto Mansur uma proposta com sugestões de regras de vestimenta. Pelo texto dela, seriam abolidas do ambiente legislativo “peças excessivamente decotadas, tanto na frente quanto nas costas, blusas de frente única ou tomara-que-caia, shorts, bermuda, miniblusa, minissaia, trajes de banho e de ginástica”.
Para homens e mulheres, a deputada quer restrições ao uso de jeans. Pela proposta, não serão aceitas calças desse material que sejam “rasgadas, desbotadas, estilizadas, muito justas ou com cintura baixa”.
O texto deixa claro que não poderá haver “exposição do abdômen ou lombar”. A proposta veda ainda roupas muito “justas e apertadas”, e proíbe o uso de chinelos “ou similares”, salvo quando houver recomendação médica.
As regras, pela proposta da deputada, não valem para crianças, adolescentes e turistas que visitam as dependências da Câmara. A parlamentar também prevê que o “dress-code” deve ser aplicado com flexibilidade, “observadas as condições sociais e econômicas” daqueles que pretenderem entrar na Casa.
Beto Mansur disse que não quer fazer muitas exigências quanto à formalidade no jeito de vestir e que levará em conta o clima quente de Brasília.
G1 

Terceira colocada na Copa do Mundo do ano passado, a superpoderosa seleção da Holanda corre sério risco de ficar fora da próxima edição da Eurocopa. Nesta quinta-feira, os holandeses sofreram o pior revés da história jogando em casa ao perderem por 1 a 0 para a Islândia em plena Amsterdã Arena.

Afinal, a derrota é só a quarta da Holanda como mandante em jogos oficiais. Na história das Eliminatórias para a Eurocopa, é o primeiro resultado negativo dos holandeses em casa. As outras três derrotas haviam sido nas Eliminatórias para a Copa: Portugal em 2000 e Hungria em 1984 e 1961.


Mas tropeçar diante do seu torcedor já está virando rotina para a Holanda, que no ano passado perdeu para o México e nesta temporada foi batida pelos EUA também em Amsterdã, mas em jogos amistosos. Foi exatamente essa sequência negativa que ocasionou a saída do técnico Guus Hiddink e a antecipação da contratação de Dirk Blind, que só assumiria depois da Eurocopa.


O treinador, pai do lateral Danny Blind, fez sua estreia nesta quinta-feira e viu a Holanda ficar com um jogador a menos logo aos 33 minutos, quando Martins Indi foi expulso. O técnico então tirou Arjen Robben para colocar mais um zagueiro em campo. A Islândia marcou aos 6 do segundo tempo, com Sigurosson, de pênalti.


Enquanto a Holanda vem mal, a Islândia vive a melhor fase da sua história no futebol. Com apenas três gols sofridos em sete partidas, tem 18 pontos no Grupo A e vai se classificar matematicamente à Eurocopa se vencer o Casaquistão em casa, no domingo.

Em segundo, com 16 pontos, a República Checa virou sobre o Casaquistão nesta quinta-feira, em casa, por 2 a 1. Também encaminha classificação se ganhar da Letônia no domingo. À Holanda, que tem 10 pontos, resta brigar com a Turquia pelo terceiro lugar e a oportunidade de disputar a repescagem. Os turcos foram a nove porque levaram um gol aos 46 do segundo tempo e ficaram no empate em 1 a 1 com a Letônia, em casa, nesta quinta.

Na últimas três rodadas, a Holanda visita a Turquia (domingo) e o Casaquistão (10 de outubro) e fecha as Eliminatórias diante da República Checa, em casa, dia 13 de outubro.
Gazeta Esportiva